XIV- A temperança

19 de mai de 2009
















A tempestade se foi. Os olhos do louco parecem calmos novamente. Será a resignação definitiva? Ele sabe que não. A calma que sente lhe permite pensar. Ele não conhece a si, ele não sabe aonde vai, ele não vê o caminho. Ele já deixou tantos alter-egos para trás. A bonança é passageira. Em breve, o furacão vai voltar. Aproveite a calma e descanse. Em instantes, você será expulso de seu castelo.

O ARCANO MAIOR (OU OS TRUNFOS)

0 comentário(s):