Amorecido

2 de jun de 2011




onde o amor mora
o ódio murmura
a dor recente
se ressente
quando o amor amora.
defende-se contra o ardor
que o peito sente
mas por dentro
a alma mente
quando o amor aflora.
uma demorada prece:
morra o amor
ou morra a hora
em que o amor amorece

1 comentário(s):

Ariane Rodrigues disse...

Meu amigo. Definitivamente, você é um poeta! Gostaria de convidá-lo para formar um grupo de poesia. Topas? Um outro blogueiro me convidou, mas como ele é recente em BH, não conhece muita gente. Fiquei de ver quem poderia... Seria muito bom! Bjos.