O artesão

4 de mai de 2015














Finas camadas de barro
Uma após uma escondem um segredo
Escombros, cascalhos, areia, excrementos
Descanso de mortos de um mundo imperfeito.

Águas que caem do céu 
e levam as folhas caídas na estrada
A chuva se vai e deixa suas marcas
No chão castigado de terra molhada.

Dedos hábeis de Deus
De várias camadas de barro nos fez.
Fósseis de erros guardados na alma
Segredos de barro e egos de lama.