Confissão

6 de jul de 2009











Terminei um caso equivocado de amor
onde somente eu era o amante.
Sempre que eu a procurava, ela fugia.
Eu tocava cada letra do seu corpo,
ouvia o som de cada sílaba,
modelava sua forma.
Eu amava a poesia.

Porém, ela me abandonou sem piedade,
esculhambou meus versos,
não deu bola pro qu'eu sentia.
Ela tem melhores amantes, eu sei.
Pois afinal, no final das contas,
era eu que não a entendia.

2 comentário(s):

Anônimo disse...

êta solidao heim meu fí...vou te arrumar uma mulher hehe!abraçao ley

Wesley Viana disse...

Bem, não é falta de mulher. É falta de inspiração poética. A poesia me abandonou.