Eclesiastes

30 de mai de 2008
















Um pássaro canta e é só mais um pássaro a cantar
como qualquer pássaro canta em qualquer lugar do mundo.
Assim como o amor é efêmero em qualquer lugar.
Assim como o amor é amor em qualquer canto.
Assim somos nós.

Um homem mata outro homem
como qualquer outro homem que deseje matar.
E é só mais um homem que morre,
as mesmas lágrimas, os mesmos olhos, o mesmo olhar.
Assim somos nós.

Os dias passam, as noites vão, em vão.
Pois tudo é o mesmo, passageiro.
O eterno é o mesmo, passageiro, ilusão.
A vida passa, o rio passa, o destino é ligeiro.
Assim somos nós.

Um pássaro canta e será sempre um pássaro a cantar
como qualquer pássaro cantou em qualquer lugar.
Assim como o amor é efêmero em qualquer canto.
Assim como o mal é o mal em qualquer lugar do mundo.
Assim fomos.
Assim seremos nós.

0 comentário(s):