Clamor com amor

8 de set de 2009















A minha brisa sussurra suavemente
em seus ouvidos
sonoramente silenciosa.

A onda anda ondulando
minhas águas que molham
lavando seus corpos cansados.

O fogo inflama e se faz flama
meu calor aquece
os que esquecem que sentem frio.


Mas, oh! Os meus filhos não escutam
o meu clamor no vento
então preciso soprar
com a fúria de um furacão.

Os meus filhos transformam meus fluídos
em lágrimas salgadas de dor
então preciso mostrar-lhes
o terror da força do mar.

E com o meu calor...
Ah! Os meus filhos irão se queimar!

3 comentário(s):

james penido disse...

Muito belo,simples e com metáforas que dizem tudo,sem excessos.Parabéns,wesley,um abraço.

Maze disse...

Linda... simplesmente linda.

Ariane Rodrigues disse...

Retribuo a visita carinhosa e aproveito para comunicar que finalmente a prefeitura de BH me convocou! Torça por mim! Abraço!