Múltipla escolha

29 de set de 2010













A poesia é:

fuga
música
alegria
dor
insensatez
delírio
luta
ritmo
desejo
fardo
catarse
amor

ou

nenhuma das alternativas acima

Pensamentos filosóficos de uma folha

26 de set de 2010













Para meu amigo Guilherme Castro

(Algo escrito há muito tempo)


Na próxima encarnação quero ser uma pessoa, um ser humano. Somente eles têm o privilégio de poderem ser felizes. Pelo o que eu saiba, nós, vegetais, não temos consciência da felicidade. Os humanos pelo menos podem tentar alcançá-la.

Não quero ser planta, nem um mero animal, quero ser uma pessoa. Quero sofrer todas as desilusões as quais elas estão sujeitas. Quero amar, sorrir, chorar, crescer com as quedas, me tornar sábio com a idade. Quero arriscar.

Sou apenas o nariz das plantas. As únicas sensações que tenho são o sol, a chuva e o vento que chegam até mim. Posso ser bonita e agradável aos olhos, mas estou presa para sempre ao mesmo galho. Não posso escolher meu caminho. Não posso desviar do sol ou da chuva quando eu quiser. As únicas coisas diferentes que podem acontecer em meu destino são um granizo me rasgar, uma criança me colher ou um passarinho me bicar. Os humanos escolhem seu caminho na medida do possível. Eles podem criar. Ah, como isso seria bom.

Se eu pudesse ser uma pessoa, me contentaria até em ficar triste. Pois estar triste é sinal de que se conhece a felicidade e ser um humano é poder partir em busca dela.
Sim, na próxima encarnação quero ser uma pessoa, um ser humano. Para não precisar que ninguém pense nem escreva por mim.

O dono do mundo

4 de set de 2010

















E se dissessem:
“Vá, possuas o mundo!”
Ainda assim não saberia tê-lo.
Não caberia em minha mão,
não poderia retê-lo.
Pois o mundo é maior que o mundo.
As almas pesam
e os pensamentos.
Não poderia carregá-los em minhas costas,
já tenho muito peso.
Se eu tivesse o mundo,
devolveria-o a ele mesmo.