Concerto em mi menor para coração partido e orquestra

13 de nov de 2008












I- allegro maestoso

Ah, os violinos tocam nosso tema sem variações.
É a mesma melodia flébil de tempos atrás,
graciosa, deliciosamente bela.
As notas longas de nosso duo ultrapassam o compasso.
É o minueto do nosso amor,
festivo, galante, intempestuoso.
O movimento elegante traz-me os seus lábios
que se unem aos meus em um acorde perfeito maior.

II- adagio sostenuto

O que é mais fúnebre
do que o réquiem de um amor morto?
Nem todas as flautas do mundo poderiam chorar tanto.
Quando te olho é com misto de ódio e desejo.
Não sei mais cantar, careço de harmônicos.
Meu tom agora é feito apenas de bemóis,
pianissimo.

III- allegro ma non troppo

Não vamos deixar que nossos olhos nos iludam,
nem as bocas, nem a pele, nem a voz.
Fora do outro.
Como um pacto.
Deixemos a metáfora da música,
a palavra soará agora apenas como um refrão...
amor...
amor...

6 comentário(s):

Ariane Rodrigues disse...

Preferisco lo primo "Allegro" perchè è quello che vorrei, ma lo secondo e lo terzo sono anche molti belli e traduscono perfettamente i miei ultimi momenti. Vivo attimi pieni di tristezza e malinconia...

Sei bravo!!!

Congratulazioni!!!

Wesley Viana disse...

Os seus comentários enobrecem os meus humildes textos. Obrigado, Ariane.

Ariane Rodrigues disse...

Per niente, per niente.

Maze disse...

Tua orquestra sinfônada toca um DO- lorido coração que busca RE-tomar a MI-stura das FA-zes de um en-SOL-arado sentimento de amor, que LA-scivamente SI pôs em Dó.

Amei tua Filarmônica!

Wesley Viana disse...

Que bom que minha orquestra TOCOU sua alma, Maze!

mo_cica disse...

quisera eu comentar
mas não ouso
que é para não DESCONCERTAR
o TOM!

BELÍSSIMO