Netuno

1 de dez de 2008











Era uma vez um peixinho que vivia no fundo do mar. Como todos da sua espécie ele não se arriscava a sair dos limites do seu território, pois ali ele tinha tudo o que precisava: comida, abrigo, família e amigos.
Mas o peixinho gostava de pensar. Onde será que acabava o mar? Que mistérios haveria em águas distantes dali? Então, abandonou o cardume e saiu em busca de aventuras. O peixinho nadou para muito longe, descobriu novos lugares, novos peixes, plantas e animais aquáticos que nunca imaginara existir.
O peixinho viu então o quanto era pequeno e insignificante perante o mar, se sentiu constrangido e humilhado. Então, ele resolveu desafiar as águas e seus perigos, pois se ele havia chegado até ali, podia ir além. Ele queria descobrir o que havia acima do oceano. Diziam que era um lugar maravilhoso, que o mar não era nada comparado à beleza da superfície (era assim que chamavam o mundo desconhecido).
Depois de muitos esforços, finalmente um dia o peixinho alcançou a superfície. Vocês não imaginam a surpresa que ele sentiu ao perceber que lá ele não podia respirar. O peixinho então sentiu saudades do seu lar, da água que sempre havia lhe oferecido oxigênio, alimento e proteção; e entristeceu-se por tê-la desprezado tanto.
O peixinho retornou e desde aquele dia passou a cuidar melhor de sua casa, pois era a única que ele tinha. Porque ele sabia que lá em cima, fora do mar, nenhum peixinho podia respirar.
OS PLANETAS

1 comentário(s):

Ariane disse...

Eh...que desfecho...verdadeiro...Ás vezes, a felicidade nos furta os ares.
Beijo.