Águas

20 de ago de 2011















Lagoa

Imensidão calma cercada de grama.
Como és profunda, solidão!
Observa-me, reflexo do meu reflexo.
Meu olhar te abarca como braços em um abraço.
E você me sorri com uma brisa.

Cachoeira

Águas violentas chocam-se...
Borbulham...
O rio, banhado de sua ira, corre.
A água que despeja, fria e forte, oculta-me
afogado em sua beleza.
E tu segues em eterna queda, sem se importar.

2 comentário(s):

ZaymonZarondy(ZZ) disse...

meus cumprimentos.
ZZ

Wesley disse...

Obrigado pela visita Zaymon!