O estático inexistente

7 de jul de 2011













Para onde vou
se não estou
em nenhum lugar?


0 comentário(s):