O beijo

16 de abr de 2010











Carlinhos sempre sonhou em beijar os lábios de Cláudia. Mas ela era cruel desde criança, e ficava sempre adiando o dia prometido. Apesar de tudo, o menino nunca desistia e à noite ficava sonhando com seu primeiro beijo, na boca da menina que ele amava tanto. Os anos passaram-se e a crueldade da garota foi aflorada pela adolescência. Seu primeiro beijo não foi de Carlos, nem o segundo, nem o décimo e ela fazia questão que ele soubesse de cada um deles. Mas Carlos tinha o coração cheio de amor por sua algoz e esperava o dia em que ela encostaria os lábios nos seus. Eles cresceram, casaram-se com pessoas diferentes, tiveram filhos, netos, mas a imagem de dona Cláudia nunca saía da cabeça de seu Carlos. Quando ela morreu, todos viram um velhinho se aproximando vagarosamente do caixão. Ele tinha os olhos cheios de lágrimas. Seu Carlos se abaixou, com as dificuldades típicas da velhice e beijou carinhosamente os lábios mortos de dona Cláudia, pela primeira e última vez.

0 comentário(s):